domingo, 24 de maio de 2009

Poder e poder...




Não é incomum se ouvir falar da palavra poder. Esse termo, que gramaticalmente varia entre verbo e substantivo, significa em ambos casos autoridade, mando, força, influência. Teoricamente "poder" deveria levar ao equilíbrio, ajustamente e mesmo felicidade; porém, em geral, talvez pela pequenez humana, não é assim que ocorre. Em toda parte relações sociais são mediadas por alguma forma de poder: daí a expressão "manda quem pode, obedece quem tem juízo." Acrescenten-se ainda "ah, fulano abusa do poder"; "cicrano aspira poder"; ou, "aproveita-se do poder que tem."


Fui consultar algumas teorias sobre o tema. Para Weber poder é a "possibilidade de impor sua vontade sobre o comportamento de outras pessoas", quase sempre para atingir um objetivo." Já Toffer pensa que existem três fontes de poder: músculo (força), dinheiro (riqueza) e inteligência (conhecimento), essa última de maior qualidade, pois propicia aplicar outras fontes. Concordo com ele. Não por acaso, as elites abastadas detêm poder mediante o poder que o dinheiro gera. Não raro também alguém que possui grau elevado de conhecimento ser fonte de persuasão sobre outros, o que inevitavelmente não deixa de ser uma forma de poder; até aqui tudo bem, a questão é a maneira em como esse poder é conduzido. Interessante - algo que já notei em diversas circunstâcias - é aquele que não possui nada do que fora mencionado, ou seja, força física, riqueza, muito menos inteligência, mas por estar próximo do poder, faz acreditar que o tem (falso poder). E, o que é pior, faz uso desse falso poder em benefício de si e para prejudicar outrem. O bom nisso é que tudo que falso um dia de revela e desmacara, porque o que não é verdadeiro não se sustenta.

Entretanto, existem aqueles que usam o poder em detrimento do mal. E é nisso que me empenho. Mesmo sendo uma gota no oceano, há pessoas que fazem bom uso do poder por crer que vale a pena colaborar mutuamente, que um ensina e aprende com o outro, e que existem egrégoras voltadas para o bem-estar. E esse é o poder que deve prevalecer.
Beijos e abraços cheios de poder do bem.
RB


4 comentários:

  1. Gostei muito do seu texto, mas gostaria de lhe perguntar o seguinte: A fala e a escrita são considerados como um poder ou como uma força?

    ResponderExcluir
  2. Amore, pressuponho que força e poder estão imbricados. Note-se que a depender do grau de poder advém também o nível de força com que ele age. Não sei, posso estar equivocada; é apenas uma reflexão.
    Bjos cheios de poder! huaaaa

    ResponderExcluir
  3. Eu posso, tu podes...ela não!

    ResponderExcluir
  4. Olá Rosita,
    Você tem o poder de nos prender com inteligentes palavras e certamente a força dessas palavras bem colocadas me servirão como ponte para ir e voltar ao seu blog.
    Um abraço,
    Dalinha Catunda

    ResponderExcluir