segunda-feira, 20 de abril de 2009

Apresentando-me: algumas facetas de mim [...]



Sou mulher possível e não sirvo de exemplo a ninguém. Sou simplesmente eu mesma, sem estereótipos ou quaisquer preceitos. Sou imperfeita, muito prazer. Aliás, ser perfeito deve ser muito chato, uma vez se tratando de ser humano. Nesse sentido, lembrei-me agora do “Auto da Barca do Inferno” – literatura portuguesa do século 16 em que numa alegoria cheia de humor, o anjo e o diabo argumentam numa espécie de juízes sobre as características terrenas, já que tinham como missão conduzir os mortos ou ao céu ou inferno. Para o diabo ser imperfeito refletia a condição humana e, pensava ele: “ ser puro deve ser muito chato, pois no paraíso não há espaços para risos e tudo deve ser certinho (...).” Ainda assim, fato é que vivendo para mim e não as expectativas dos outros, sigo a vida docemente feliz em respeito cada pedaço de mim. Por sua vez, acredito que não é possível fazer alguém feliz sem sê-lo primeiro, ou seja, ter opinião própria e poder de decidir por mim; pagar minhas próprias contas, dizer não sem sentir culpa; fazer o que gosto e empenhar-me por isso (por exemplo, cozinhar tão somente quando tenho vontade, escrever livros sem preocupar-se se eles vão ser editados, estudar sobre só e somente só o que gosto – Astrologia, Filosofia, Literatura, Comunicação, artes, beleza, e tudo que me der na teia, desde que me proporcione prazer como boa adepta do hedonismo que sou.


Entretanto, isso não significa que eu não possa ser mãe dedicada, mulher carinhosa, profissional competente e amiga fiel. Nada mais interessante que vislumbrar novos horizontes, mudar de pontos de vista e refletir sobre meus próprios atos e, o que é melhor, avaliar que tudo é válido e leva ao aprendizado. Nada mais prazeroso do que sentir a brisa do mar, abrir as janelas e avistar o sol brilhando à minha frente, olhar as estrelas, pisar na grama; ou tirar uma tarde para ouvir bossa nova, comprar uma plantinha para casa, papear e rir com os amigos, bebericar caipiroska de kiwi ou tangerina, tomar sorvete de pistache, usar meu perfume preferido, namorar e namorar (...). Nada melhor do que ser autêntica, rir ou chorar quando sinto vontade, abraçar o outro, jogar conversa fora, falar alto sem me preocupar se é educado ou não, além de observar que as frustrações são fontes de amadurecimento (...). Nada melhor do que ser mulher, ainda mais, não parar de sonhar e estar sempre em busca da autorrealização e felicidade.
Realmente, para mim não há nada melhor (...).
RB

2 comentários:

  1. Seu blog está realmente muito lindo. Está divino. E por falar em divino, permita-me fazer um pequeno comentário sobre o seu texto, especificamente desta frase que me chamou atenção: “Para o diabo ser imperfeito refletia a condição humana e, pensava ele: “ ser puro deve ser muito chato, pois no paraíso não há espaços para risos e tudo deve ser certinho (...).
    -Meu conceito:
    o chato é: destruidor, manipulador, devedor, falso, sem crença, vida sem sentido.
    O puro é: honesto, fiel, correto, amigo. Pessoa feliz, que tem fé. Pessoa integra. Sonhadora.
    Bem, ser puro não é chato, especialmente por vivermos num mundo onde o pecado(roubo, violência, fome, miséria) tem domínio. Vivemos num mundo onde falar de pureza é estar fora da grande maioria. Pureza(fé) foi para uma geração que já ficou para trás, pensam alguns e sei que é muito difícil defender esta doutrina. Sempre foi difícil ser puro(correto/honesto/íntegro)... Difícil? Mas porque elogiamos os de corações puros, leais e fiéis? Quem não procura à paz, a alegria, a felicidade, harmonia, bem-estar, conforto, constituir uma família? Deus, para a felicidade do homem, criou a fé e o amor. Estamos sempre em busca do que é purp (certo), do que é comum. Ninguém vive procurando o ódio, nem os chatos, a não ser aquele que não têm família, amigos, amor e que a vida para ele é uma porcaria. A vida para estas pessoas são chatas, insignificante, sem brilho, sem riso. Estas pessoas são egoístas e não estão satisfeitas com absolutamente nada, nem com a sua própria vida. Elas importam com a sua felicidade, com a sua alegria, com a sua paz.
    Assim era no paraíso. O diabo era chato, manipulador, egoísta, ciumento, era feliz e não sabia. Ele martelava rotineiramente, seguia deliciosamente os passos de sua presa, simplesmente para deixá-la em dúvida em relação a sua crença, sua vida, seus sonhos. É bom lembrar aquele velho e popular ditado: “Mente vazia é oficina do diabo”. Sua mente era absolutamente vazia. Mente vazia é idêntica a mente quieta, ali os demônios dormem. Mente vazia é idêntica a mente vislumbrada, ali os demônios te enfrentam.
    Devemos ser absolutamente corretos, caso contrário, seremos desmoralizados pelo sistema. Pergunto: porque temos fé em alguma coisa? Porque vamos à igreja, ao templo, as reuniões? Porque educamos o nosso filho? Porque você paga impostos, contas? Porque você tem o seu CPF regular e seu nome não está no SPC? Porque cumprimos horários no trabalho? Porque obedecemos às normas da empresa? Porque constituímos família? Porque temos medo dos assaltantes, dos bandidos, dos seqüestradores? Porque criticamos as pessoas invejosas, egoístas? Porque você fala que fulano é chato? Será que ele é o diabo? Tudo isso é porque não gostamos de ser chatos e dos chatos.
    Talvez pergunte por que tantas pessoas sofrem, não tem emprego. Sabemos que cada um precisa fazer suas próprias escolhas. Chorar de dor, de solidão, de tristeza, faz parte do ser humano. Não adianta lutar contra isso. A dúvida foi a geradora das causas.
    Quando viemos ao mundo, aprendemos que devemos amar uns aos outros.
    Viemos para amar nossos pais, nossos irmãos, nosso próximo. Vivemos num paraíso transformado, modificado. O paraíso é uma questão pessoal. Ficamos deslumbrados com as praias, os rios, as cachoeiras, as florestas, os animais, as aves, o céu, o sol, a lua, enfim, o paraíso é aqui e você pode sentir essa felicidade, abrir os braços e agradecer a Deus sorrindo. Os puros podem sorrir a vontade a qualquer momento e em qualquer lugar. Os chatos incomodam com a sua alegria. No paraíso celestial a felicidade era presente. No paraíso terrestre estamos em busca dela. Nós podemos tudo, menos ser chatos. Sorria sempre!!!
    DEBE - Bjos.

    ResponderExcluir